NR-17 – AET – Análise Ergonômica de Trabalho

É uma análise das condições do ambiente de trabalho, no que se referem aos equipamentos, mobiliários, postura laboral, carregamento de peso, movimentações, comunicações, regras internas, ferramentas operacionais, pressões temporais, poder de decisão, absenteísmo, entre outros aspectos fundamentais para elaboração deste documento.

É uma análise de todas as funções dos setores existentes na empresa, esta aponta situações ergonômicas atuais e possíveis melhorias, conforme solicita a NR-17.

É importante salientar que a AET tem como base a análise de três pilares que são, o físico, o cognitivo e o organizacional. Após análise, criamos recomendações personalizadas que possuem o intuito de diminuir a sobrecarga observada, deste modo toda avaliação e recomendação tem como objetivo final a melhoria da condição de trabalho e a consequente melhora da produção.

Físico – A Ergonomia fornecerá parâmetros para uma adequação confortável do local de trabalho ao trabalhador, poupando-o de problemas e danos à sua condição física. O respeito à biomecânica humana é fundamental para a preservação da integridade física e para um melhor desempenho profissional.

Cognitivo – O aumento das doenças psicológicas observado nos últimos anos é estrondoso, por esse motivo temos que compreender e adequar as demandas cognitivas de nossos trabalhadores.

Organizacional – A organização do trabalho permite que nossos trabalhadores possuam uma menor demanda física e/ou cognitiva, deste modo a compreensão da condição fornecida e as possibilidades de baixo custo são interessantes para não só para melhorar a condição de trabalho como também para que o trabalhador seja mais eficaz e consequentemente mais produtivo.

 

A perfeita harmonia dos três pilares permite não só a melhoria da condição de trabalho e o aumento da produção, como também torna os colaboradores fieis a empresa, o que garante a permanecia da expertise e o envolvimento destes com evolução da instituição.